Insegurança alimentar afecta palestinianos, diz Unrwa

Insegurança alimentar afecta palestinianos, diz Unrwa

Agência de Assistência a Refugiados da ONU diz que alto preço dos alimentos causou redução na quantidade de proteínas consumidas.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

A Agência das Nações Unidas de Assistência a Refugiados Palestinianos, Unrwa, informou que a crise dos alimentos está a provocar uma situação de insegurança alimentar entre os habitantes da Faixa de Gaza e da Cisjordânia.

Segundo a Unrwa, uma pesquisa da ONU sobre o tema sugere que 56% dos refugiados enfrentam insegurança alimentar por causa da queda no poder de compra.

Leia o boletim de Daniela Kresch, da Rádio ONU em Tel Aviv.

Pesquisa

“O alto percentual, o maior desde já medido nesse tipo de pesquisa, também reflecte as dificuldades impostas por Israel, que ocupa as duas regiões.

Segundo o estudo, quase todos os habitantes dos territórios palestinianos ocupados reduziram o consumo de proteína animal e de frutas e legumes frescos.

A situação é ainda pior para os habitantes da Faixa de Gaza, que enfrentam um boicote económico internacional há um ano.

O refugiado Mohamed El-Souri, lamenta ter que negar frutas e carne aos seus filhos”.

Na quarta-feira, o Secretário-Geral reuniu-se com a Assembleia Geral para discutir o tema da crise alimentar. Segundo ele, o mundo precisa de uma acção global para enfrentar o problema.

Apresentação*: João Duarte, da Rádio ONU em Nova York.