Imprensa no Brasil é tema de debate na ONU

5 maio 2008

Discussão marcou Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, comemorado em 3 de maio.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

O caso da imprensa e da mídia no Brasil foi analisado num debate na sede da ONU, nesta quinta-feira, para marcar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.

A data é comemorada neste sábado, 3 de maio.

Acesso

Sob o tema “Informação e Empoderamento de Indivíduos”, a cerimônia foi dirigida pelo subsecretário-geral de Informação Pública da ONU, Kiyotaka Akasaka (foto).

Durante a apresentação, uma mensagem de vídeo do líder indígena, chefe Almir Suruí, foi exibida aos participantes.

Ele propõe que sua aldeia em Rondônia seja observada por satélites do programa Google Earth, para evitar o desmatamento.

“Eu acredito muito que esse instrumento da internet seja um equipamento que possa apoiar muito as nossas ações. A reação deles foi muito boa. Um líder indígena a procurar uma empresa como essa para pedir apoio, não só politico ou financeiro mas também técnico, principalmente equipamento, é muito importante”, disse.

De acordo com Almir Suruí, o aquecimento global está afetando a vida dos povos da Amazônia.

Participaram também do debate, o conselheiro Norberto Moretti, da Missão do Brasil na ONU e o ex-correspondente do New York Times no Brasil, Larry Rohter.

image

Durante a cerimônia, o subsecretário-geral Akasaka, pediu a todos os participantes que fizessem um minuto de silêncio pelos profissionais mortos em serviço.

De acordo com o Comitê de Proteção a Jornalistas, o Iraque continua sendo o país mais perigoso para o exercício da profissão, seguido por Serra Leoa e Somália.

A lista inclui ainda os países latino-americanos, Colômbia em quarto lugar, e México em 10º.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud