ONU quer mudanças em Darfur

1 maio 2008

Chefe da Missão Nações Unidas – União Africana em Darfur está impaciente por progressos.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

O chefe da força de paz mista das Nações Unidas e da União Africana em Darfur, no Sudão, Unamid, afirma que está tão ansioso por mudanças quanto a população no terreno.

O Representante Especial Conjunto Nações Unidas – União Africana, Rodolphe Adada, disse a jornalistas na capital sudanesa, Cartum, que três meses após o lançamento da operação quer ver progressos na situação.

Operações

Uma vez em plena operação a Unamid contará com 26 mil homens entre soldados de manutenção de paz e polícias. Até ao momento apenas 10 mil homens foram enviados para o terreno.

Segundo as Nações Unidas, 300 mil pessoas teriam morrido em Darfur desde 2003 quando os rebeldes começaram a combater as forças governamentais e as milícias.

Meios

Para além dos mortos, 2,7 milhões de habitantes de Darfur foram deslocados devido aos combates. Cerca de 260 mil refugiados fugiram para o leste do Chade.

Adada apelou ainda à comunidade internacional no sentido de providenciar assistência. Falando ao Conselho de Segurança na semana passada, ele afirmou que enquanto Darfur tem permanecido no topo da agenda internacional, esta atenção não foi acompanhada pelas acções necessárias de forma a oferecer à Unamid os meios necessários para cumprir as tarefas que lhe foram atribuídas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud