Corpo de sargento chega ao Brasil antes de sexta BR

Corpo de sargento chega ao Brasil antes de sexta

Militar, de 36 anos, que servia nas tropas da ONU no Haiti, sofreu hemorragia cerebral.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

O Batalhão Brasileiro da Missão das Nações Unidas no Haiti, Minutah, informou que o corpo do sargento da Marinha, Carlos Freires Barbosa, deve chegar ao Brasil antes desta sexta-feira.

O militar, de 36 anos, morreu de uma hemorragia cerebral em 1º de maio.

Condição

O médico, major Roberto Albuquerque, disse à Rádio ONU, de Porto Príncipe, que o sargento sofreu um acidente vascular.

“Ele tinha um aneurisma, que é uma deformidade vascular que já é a prévia mais desconhecida do militar. Porque são condições que não se conseguem detectar, não escondem nenhum problema. Então ele tinha esse problema prévio. Não sei o fator que desencadeou, mas ele teve um acidente vascular cerebral conseqüente a isso”, explicou.

O major Albuquerque disse ainda que o corpo foi embalsamado nesta segunda-feira.

Documentos

O comandante do Batalhão do Brasil no Haiti, coronel Paul Cruz, disse à Rádio ONU, que as Nações Unidas só estão aguardando a chegada de alguns documentos para que o traslado seja feito.

“O corpo se encontra em local adequado lá no Hospital Argentino. Assim que a documentação estiver ultimada vai haver o traslado do corpo do sargento para o Brasil”, disse.

Exemplar

Segundo o médico, o sargento estava navegando na internet quando se sentiu mal. Ele foi levado imediatamente ao Hospital Argentino, em Porto Príncipe, e de lá transferido para a República Dominicana, onde morreu.

O sargento brasileiro, morava no Rio de Janeiro, era casado e tinha um filho.

Antes de deixar o Haiti, o sargento receberá homenagens póstumas de seus colegas das forças de paz. Segundo o Batalhão Brasileiro, o sargento era admirado pelos bóinas-azuis, que o descreveram como exemplar.