Mercado de carbono dobrou, diz Banco Mundial (Português para o Brasil)

Mercado de carbono dobrou, diz Banco Mundial (Português para o Brasil)

Segundo relatório do órgão, em 2007 foram negociados US$ 64 bilhões, o equivalente a R$ 108 bilhões.

João Duarte & Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

Um relatório do Banco Mundial sugere que o mercado internacional de carbono cresceu mais de 100% em 2007.

Segundo o estudo, no ano passado foram negociados, US$ 64 bilhões, o equivalente a mais de R$ 108 bilhões.

Efeito Estufa

O mecanismo foi instituído no Protocolo de Kyoto como um incentivo à redução dos custos de emissões de gases que causam o efeito estufa.

Antes da divulgação do relatório, a conselheira sobre Mudanças Climáticas, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Maria Netto, disse à Rádio ONU, que as negociações para o substituto de Kyoto estão avançando e um dos tópicos é justamente o mercado de carbono.

Sinal Positivo

“Eu acho que este é ano sobretudo para tentar criar mais acordos entre os países e diálogo do que ter uma negociação detalhada sobre o que vai ser o final do pós-Kyoto. Eu acho que algumas coisas continuarão como por exemplo o mercado de carbono tenho certeza de que vai continuar porque existe um entusiasmo de todo o setor de comércio. A União Européia deu um sinal muito positivo com a continuação do sistema deles de mercado de carbono”, disse.

Congelamento

Mas segundo o Banco Mundial, o estudo também apresenta alguns pontos frágeis para os países em desenvolvimento.

Alguns compradores do crédito de carbono acreditam que não há mais tempo hábil para cumprir com as demandas do Protocolo de Kyoto de desenvolvimento limpo.

Ainda de acordo com o relatório, a União Européia também teria pedido um congelamento de projetos dos países em desenvolvimento como parte das reduções de gases causadores do efeito estufa até 2012.