Enviado ao Líbano diz que país atravessa crise política (Português para África)

Enviado ao Líbano diz que país atravessa crise política (Português para África)

Terje Roed-Larsen disse ao Conselho de Segurança que desarmamento é essencial para a paz.

Iara Luchiari, Rádio ONU em Nova York.

O enviado especial do Secretário-Geral ao Líbano para a implementação da Resolução 1559, Terje Roed-Larsen, afirmou que o país está a atravessar uma crise política grave.

Segundo Roed-Larsen, o facto de o Líbano não ter eleito um presidente é a principal causa da crise.

Vazio

Roed-Larsen afirma que o vazio constitucional é o principal responsável pela confusão e caos de que o país sofre.

Além disso, o enviado disse que o desarmamento da população e das milícias libanesas é essencial para a consolidação da paz no país.

Actos de Violência

Roed-Larsen fez a declaração, esta quinta-feira em Nova York, um dia depois de militantes do movimento islâmico Hezbollah terem bloqueado as principais estradas de acesso ao Aeroporto Internacional de Beirute.

Na quarta-feira, choques entre manifestantes contra e a favor do governo deixaram dois mortos e 10 feridos.

Eleições

O enviado disse que está muito preocupado com os atrasos na eleição do novo presidente do Líbano reiterando as preocupações do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, sobre esta questão.

O cargo está vago desde o final do mandato do presidente, Emile Lahud, em 23 de Novembro, quando deveria ter sido escolhido um novo líder.

Apresentação*: João Duarte, Rádio ONU em Nova York.