Mianmar: número de mortos sobe para 34 mil

Mianmar: número de mortos sobe para 34 mil

ONU informou que aumentou donativos às vítimas do ciclone; Secretário-Geral diz que menos de 10% de ajuda necessária entrou no país.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

O Programa Alimentar Mundial, PAM, informou que conseguiu chegar a mais de 27 mil pessoas em Mianmar, a antiga Birmânia, com ajuda humanitária, no fim de semana.

Segundo a TV estatal birmanesa, o número de mortos subiu para mais de 34 mil.

Céu Aberto

Nesta segunda-feira, várias agências da ONU falaram a jornalistas, no país vizinho, a Tailândia, sobre a situação das vítimas em Mianmar.

O chefe do Escritório da ONU de Assistência Humanitária, em Banguecoque, Terje Skavdal, disse que o estado de saúde das vítimas, principalmente crianças e idosos, é preocupante.

Skavdal afirmou que as vítimas estão a céu aberto e sujeitas a várias formas de doenças contagiosas. Segundo ele, a previsão do tempo indica mais chuvas na região. Há relatos de casos de malária, diarreia e febre dengue.

Remédios

Segundo o Ocha em Banguecoque, os sobreviventes precisam de abrigo, de água potável, de remédios, alimentos e outros géneros de primeira necessidade.

Em Nova York, o Secretário-Geral, Ban Ki-moon disse que ligou várias vezes para o general Than Shwe, líder da junta militar que governa Mianmar, mas não obteve resposta.

Ban disse que menos de 10% da ajuda necessária entrou até agora no país.

O Secretário-Geral afirmou que por não ter conseguido falar com o líder birmanês, escreveu esta segunda-feira uma segunda carta a Shwe.

Participou ainda da reunião na ONU, o subsecretário-geral de Assistência Humanitária, John Holmes

De acordo com o Ocha, até 2 milhões de pessoas podem ter sido atingidas pelo ciclone.