Deslocados no Quénia recebem auxílio da ONU (Português para África)

28 maio 2008

Governo, agências e doadores são essenciais para o retorno das vítimas da violência pós-eleitoral no país.

Iara Luchiari, Rádio ONU em Nova York.

O representante especial do Secretário-Geral da ONU para os Direitos

Humanos de Deslocados Internos, Walter Kaelin, afirmou que a falta de maiores esforços poderá colocar em risco o processo de consolidação de paz no Quénia.

Kaelin fez a declaração esta terça-feira em Genebra, na Suíça, depois de uma viagem de cinco dias ao Quénia.

Desafios

O representante especial também pediu mais esforços por parte do governo, agências de assistência humanitária e doadores para garantir a segurança e a paz às vítimas da violência pós-eleitoral no país.

De acordo com ele, a garantia de retorno seguro, assistência humanitária nas zonas de acolhimento e em locais de trânsito ainda são desafios a vencer.

O representante pediu também que a protecção oferecida cumpra os padrões estabelecidos nos Princípios das Nações Unidas para Deslocados Internos.

Eleições

Milhares de pessoas no Quénia foram obrigadas a abandonarem as suas casas no período entre dezembro de 2007 e janeiro de 2008 quando uma onda de violência pós-eleitoral tomou conta do país.

De acordo com a ONU, confrontos entre simpatizantes e opositores do governo do presidente, Mwai Kibaki, mataram pelo menos 800 pessoas.

Apresentação*: João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud