FAO adverte que preço de alimentos continuará alto
BR

29 maio 2008

Agência da ONU disse que média da próxima década será superior a dos últimos 10 anos; conferência, em Roma, discutirá soluções.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, afirmou que a subida no preço dos alimentos deve sofrer uma leve redução, mas os preços continuarão altos pela próxima década.

O alerta foi feito no relatório da FAO e da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, Ocde, lançado nesta quinta-feira.

Produção

Segundo a FAO, os altos preços atingirão os mais pobres e famintos do mundo.

Numa entrevista, antes da publicação do relatório, o diretor de Projetos Mundiais da FAO, Roberto Mercado, falou à Rádio ONU, de Roma, sobre a possibilidade de aumento na produção.

“Evidentemente, com uma oferta maior de alimentos haverá uma queda de preços. Mas não voltaremos ao nível dos preços de 2007. Isto é uma preocupação muito grande para a organização já que os países mais pobres precisarão de mais recursos para comprar o mesmo nível de alimentos que compraram em 2007”, afirmou.

Protecionismo

O Secretário-Geral da Ocde, Angel Gurria, afirmou que a maneira de lidar com a crise dos alimentos não é através de protecionismo agrícola, mas sim a abertura dos mercados.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, participará da conferência internacional da FAO para discutir a questão com vários chefes de Estado e governo, incluindoo presidente Lula, em Roma, na Itália.

O encontro começará na próxima terça-feira.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud