ONU assinala 14 anos do genocídio no Ruanda

ONU assinala 14 anos do genocídio no Ruanda

Em mensagem para marcar a data, Ban Ki-moon fala de determinação na defesa dos direitos humanos.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas assinalam, esta segunda-feira, o 14º aniversário do genocídio no Ruanda.

Em 1994, mais de 800 mil pessoas foram mortas devido a conflitos étnicos entre tutsis e hutus no país africano.

Sobrevivente

Para além de uma mensagem escrita, o Secretário-Geral Ban Ki-moon, participará de um encontro onde estará presente o embaixador do Ruanda na ONU, Joseph Nsengimana, uma sobrevivente do genocídio e várias crianças ruandesas.

Na sua mensagem, Ban afirma que as Nações Unidas têm o dever moral de aprender com as lições do Ruanda e aumentar os esforços a fim de evitar outros genocídios.

O Secretário-Geral sublinhou a sua determinação em lutar pela defesa dos direitos humanos em todo o mundo.

Campanha

Ban recordou que este ano se assinalam os 60 anos sobre a Declaração Universal dos Direitos Humanos e que para assinalar a data a ONU está a desenvolver uma campanha global de consciencialização para garantir que estes direitos são conhecidos e compreendidos.