Unesco condena assassinato de jornalistas

Unesco condena assassinato de jornalistas

Felicitas Martínez Sánchez e Teresa Bautista Merino, de 21 e 24 anos respectivamente, foram baleadas numa emboscada em Oaxaca, sul do México.

Ana Luiza Ponciano, Rádio ONU em Nova York*.

O diretor-geral da Unesco, Koïchiro Matsuura, condenou o assassinato de duas jornalistas no México, Felicitas Martínez Sánchez e Teresa Bautista Merino.

As duas foram mortas numa emboscada no estado de Oaxaca, no sudeste do México, nesta segunda-feira.

Estrada

Felicitas, que tinha 21 anos, e Teresa, de 24, foram abordadas por homens armados numa estrada. Mais quatro pessoas foram atingidas pelos disparos, mas estão fora de perigo.

Segundo o Centro Nacional Mexicano de Comunicação Social, as repórteres foram assassinadas quando faziam uma reportagem para a Rádio Comunitária, “A Voz que Rompe o Silêncio”, que fica em San Juan Copala.

A rádio emprega jovens e adolescentes da comunidade indígena Triqui.

O diretor-geral da Unesco disse que o assassinato de jornalistas é um crime hediondo que afeta toda a sociedade ao minar o direito de cidadãos de participar de um debate informado e tomar decisões políticas com base em informações recebidas.

*Apresentação: Monica Villela Grayley da Rádio ONU em Nova York