Rebeldes timorenses entregam armas

Rebeldes timorenses entregam armas

Representante Especial do Secretário-Geral para Timor Leste, Atul Khare (foto), saúda rendição.

João Duarte, Rádio ONU em Nova York.

O líder do grupo de fugitivos que andavam a monte desde o atentado contra o presidente (foto) e primeiro-ministro de Timor Leste rendeu-se às autoridades esta terça-feira.

Gastão Salsinha, juntamente com 11 outros rebeldes, entregou-se ao vice primeiro-ministro José Luís Guterres na capital, Díli.

Momento histórico

Segundo agências de notícias, Guterres teria descrito a rendição como um momento histórico.

Salsinha, antigo tenente do exército, assumiu o comando dos rebeldes depois do anterior líder, Alfredo Reinado, ter sido morto no ataque de 11 de Fevereiro contra o Presidente Ramos-Horta.

Segundo agências de notícias, a decisão de Salsinha se entregar seguiu-se a vários dias de negociações com as autoridades.

Justiça

O Presidente Ramos-Horta disse que perdoa os rebeldes mas o futuro deles pertence à justiça.

“A justiça tem que ser feita. Eles têm que ir ao tribunal explicar o porquê das suas acções a 11 de fevereiro. Eles têm que dizer quem lhes deu armas, uniformes, dinheiro, meios de comunicação e telefones ao longo destes meses todos. Em relação à pessoa que tentou assassinar-me, eu perdôo como cristão, como ser humano. Como chefe de Estado, eu digo que eles têm que enfrentar a justiça”, afirmou.

O representante especial do Secretário-Geral para Timor Leste, Atul Khare, elogiou a rendição pacífica de Gastão Salsinha e dos seus homens afirmando que havia chegado o momento de enfrentarem a justiça.

Khare elogiou também a forma como as autoridades trataram os eventos e procederam no âmbito da constituição e leis aplicáveis.