Sérvia pede à ONU que continue em Kosovo

Sérvia pede à ONU que continue em Kosovo

Ministro do Exterior da Sérvia, Vuk Jeremic (foto), disse no Conselho de Segurança que seu país não reconhece independência de Kosovo declarada em 17 de fevereiro.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

O ministro das Relações Exteriores da Sérvia, Vuk Jeremic, disse que a situação em Kosovo se deteriorou desde a declaração de independência da província pela Assembléia Provisória Kosovar em 17 de fevereiro.

Jeremic fez a declaração, na terça-feira, no Conselho de Segurança e sugeriu um novo encontro entre líderes políticos sérvios kosovares para discutir o futuro do território.

Kosovo tem cerca de 2 milhões de habitantes. Nove em cada 10 são de origem albanesa. Uma minoria sérvia representa quase 10% da população.

Poderes

Em conversa com jornalistas na sede da ONU, em Nova York, o ministro sérvio disse que seu país se opõe a qualquer transferência de poderes da ONU para outras entidades em Kosovo. E descartou a possibilidade do uso da força por autoridades sérvias.

Segundo Vuk Jeremic os 20 países que já reconheceram a soberania de Kosovo estão contribuindo para um mundo mais instável, inseguro e imprevisível.

O representante do governo de Belgrado reafirmou que a Sérvia nunca reconhecerá a independência de Kosovo.

Administração

Vuk Jeremic insistiu na vigência da resolução adotada em 1999 pelo Conselho de Segurança que atribuiu às Nações Unidas a administração do território.