Número de refugiados no Iraque dobrou

Número de refugiados no Iraque dobrou

Acnur diz que pedidos de asilo pularam de 22 mil em 2006 para mais de 45 mil em 2007.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

Um relatório do Alto-Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, revela que o número de refugiados iraquianos é o maior já registrado na história do país.

Segundo o Acnur, mais de 5 milhões de iraquianos estão vivendo no exterior desde a intervenção militar, liderada pelos Estados Unidos, em 2003.

A agência da ONU afirma que o número de pedidos de asilo saltou de cerca de 22 mil em 2006 para mais de 45 mil em 2007.

Pedidos

A maioria dos pedidos seguiu para países industrializados revertendo uma tendência de queda na concessão de asilos pela União Européia.

Muitos refugiados, sem status de asilados, estão seguindo para os países vizinhos do Iraque, Síria e Jordânia.

A porta-voz do Acnur, Jemini Pandya, disse em Genebra, na Suíça, que o número de pessoas deixando o Iraque aumentou mesmo após melhorias na questão da segurança.

Perspectivas

O chefe interino da Missão da Organização Internacional para Migrações, OIM, José Pimentel, disse à Rádio ONU, de Lisboa, que uma outra razão para a saída são as perspectivas da economia.

"O medo do que possa a vir a seguir e o fator econômico são fatos muito importantes na vida das pessoas e principalmente na vida das famílias. E às que pessoas têm crianças e querem ter acesso à educação etc. Isto não se aplica somente ao Iraque, mais há qualquer outra situação onde as condições básicas não estejam asseguradas”, disse Pimentel.

Ainda de acordo com o relatório do Acnur, a Rússia foi o segundo país com o maior número de pedidos de asilo, seguido da China, da Sérvia e do Paquistão.

Entre os países que recebem refugiados, Estados Unidos vêm em primeiro lugar, seguidos pela Suécia, França, Canadá e Grã-Bretanha.