ONU lembra fim da escravatura

ONU lembra fim da escravatura

Semana de eventos, na sede em Nova York, terá participação do actor Harry Belafonte além de palestras e concertos.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas marcam, neste 25 de março, o Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravatura e Tráfico Transatlântico.

A série de eventos foi aberta pelo Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon.

O embaixador de Cabo Verde no Brasil e historiador, Daniel Pereira, falou à Rádio ONU de Brasília, sobre o poder de reflexão causado pela data.

"A memória é importante, nesta perspectiva, daí a necessidade de periodicamente nos relembrarmos daquilo que passou e da sua influência. Para que os erros do passado não se repitam no futuro", disse.

Leia o boletim de Eduardo Costa, da Rádio ONU em Nova York.

“A semana terá um espetáculo com músicos e dançarinos da Guiné, do Mali e do Senegal, poesia da Libéria e um grupo de música do Caribe.

O ator premiado e Embaixador da Boa Vontade do Unicef, Harry Belafonte, participará do evento que celebra ainda os 200 anos da Abolição pelos Estados Unidos do tráfico de escravos transatlântico.

As comemorações seguem, no dia 27, com a estréia do filme “The Slave Route: A Global Vision”, “A Rota dos Escravos: Uma Visão Global” e no dia seguinte a ONU lança uma iniciativa que visa atrair jovens para o estudo do tráfico transatlântico de escravos assim como os perigos do racismo e preconceito”.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, estima que 700 mil pessoas sejam traficadas todos os anos.