Maoístas dificultam eleições no Nepal

Maoístas dificultam eleições no Nepal

Representante Especial no país, Ian Martin, disse que grupo estaria por detrás de violência contra partidos adversários.

João Duarte, da Rádio ONU em Nova York*

O chefe da Missão das Nações Unidas no Nepal, Ian Martin (foto), afirmou que a realização das eleições gerais, marcadas para abril, está a ser dificultada pela acção de grupos maoístas no país.

Segundo Martin, eles estariam por detrás de actos de violência contra outros partidos que também concorrem no pleito.

Confrontos

Ian Martin disse à Rádio ONU que os maoístas teriam causado “obstrução” às campanhas eleitorais de adversários políticos.

O representante especial adiantou que os maoístas têm dificuldades com aceitar o direito dos partidos monárquicos de fazer campanha eleitoral.

Segundo ele, isso estaria a causar violência.

Acordo de Paz

No mais recente incidente, um funcionário maoísta morreu em confrontos com activistas do partido do Congresso Nepalês, no distrito de Solukhumbhu, a 200 km da capital Katmandu.

Pelo menos cinco pessoas já morreram e 150 ficaram feridas durante a campanha para as eleições no Nepal marcadas para 10 de Abril.

Segundo as Nações Unidas, o pleito é um passo fundamental para o acordo de paz entre o governo e os maoístas que estiveram em conflito durante uma década.