ONU irá apurar violência no Quénia

5 fevereiro 2008

Missão, enviada pela alta-comissária de Direitos Humanos, Louise Arbour (foto), chegará ao país nesta quarta-feira.

O grupo deve apurar alegações de violação dos direitos humanos durante a onda de violência que começou em Dezembro no país.

A missão chegará ao Quénia, nesta quarta-feira, e deve se reunir com representantes do governo, da oposição, vítimas e testemunhas além de organizações não-governamentais.

Pleito

Os combates no Quénia começaram no fim do ano após a oposição ter protestado o resultado das eleições que deram vitória ao presidente Mwai Kibaki.

Segundo a ONU, pelo menos 800 pessoas já morreram em confrontos entre simpatizantes e opositores do presidente queniano.

Nesta terça-feira, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, que esteve no Quénia, na semana passada, disse a jornalistas, na sede da ONU, em Nova York, que pediu a volta do diálogo no país.

Ban contou que apelou aos líderes políticos do Quénia para deter o que ele chamou de violência inaceitável e resolver as diferenças pelas vias diplomáticas.

Segundo o Alto-Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, pelo menos 300 mil pessoas tiveram que deixar suas casas desde o início da violência no Quénia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud