Ópio no Afeganistão

Ópio no Afeganistão

Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime diz que papoula movimenta US$ 3 bilhões anualmente.

Mas a agência afirma que, em nível nacional, no entanto, a quantidade de cultivos será indêntica ou ligeiramente menor que em 2007.

192 mil hectares

O documento “Breve Estudo de Avaliação do Ópio no Afeganistão no Inverno” foi divulgado, nesta quarta-feira em Viena, na Áustria, pelo diretor-executivo do Unodc, António Maria Costa.

De acordo com a agência, a produção de ópio ocupa uma área de 192 mil hectares principalmente no sul e no oeste do país.

Analistas dizem que as plantações movimentariam US$ 3 bilhões, o equivalente a R$ 6 bilhões, anualmente.

Incentivos

Para o Unodc, a política de incentivos aos agricultores tem funcionado no combate ao cultivo da papoula.

Segundo a agência, houve redução de plantações em quase metade das 34 províncias afegãs.

De acordo com o Unodc, o Afeganistão gera 90% do ópio consumido em todo o mundo. As áreas de cultivo seriam as mesmas controladas pelo movimento islâmico Talebã, que governou o país até 2001.