Conselho de Segurança preocupado com situação no Quênia
BR

7 fevereiro 2008

Pelo menos 1 mil pessoas morreram e 300 mil foram obrigadas a fugir de suas casas.

No mesmo texto, o conselho menciona a aprovação por parte do governo e da oposição de um calendário de ação para pôr fim à crise que afeta o Quênia.

As negociações estão a ser intermediadas pelo ex-secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan.

Vítimas

De acordo com a Cruz Vermelha do Quênia, pelo menos 1 mil pessoas já morreram desde 30 de dezembro, quando começaram os protestos contra a reeleição do presidente Mwai Kikabi.

Segundo agências da ONU, os atos envolvem ainda assassinatos de civis e violência sexual. Mais de 300 mil pessoas foram obrigadas a deixar suas casas.

O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, anunciou, na terça-feira, que enviará ao Quénia o chefe do Departamento da ONU para Assistência Humanitária, John Holmes.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud