ONU lembra morte de Rafik Hariri

14 fevereiro 2008

O Secretário-Geral (foto) divulgou uma declaração para marcar o terceiro aniversário do assassinato do ex-primeiro-ministro libanês, Rafik Hariri.

Helder Gomes, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, reafirmou nesta quinta-feira o compromisso das Nações Unidas em ajudar o Líbano a investigar e julgar os responsáveis pelos assassinatos de líderes políticos do país.

Ban divulgou uma declaração para marcar o terceiro aniversário da morte do ex-primeiro-ministro libanês, Rafik Hariri.

Ele foi vítima de um atentado que matou outras 22 pessoas, em Fevereiro de 2005, em Beirute, capital do Líbano.

Ainda nesta quinta-feira, o Secretário-Geral da ONU anunciou a criação de um comité de gestão do Tribunal Especial que deve julgar o assassinato de Hariri.

O comité terá entre outras tarefas a responsabilidade assegurar o orçamento anual e os assuntos extra judiciais.

Sede do tribunal

Ban Ki-moon afirmou que as medidas já adoptadas como a escolha dos juízes, a designação de um promotor e o estabelecimento da sede , são passos decisivos para o funcionamento do tribunal.

O Secretário-Geral lembrou ainda que já foi concluído com o governo da Holanda um acordo que permite a instalação do Tribunal Especial, na cidade holandesa de Haia.

A resolução que criou o Tribunal Especial para o Líbano foi aprovada pelo Conselho de Segurança em 30 de Maio.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud