Conflito no Iraque matou pelo menos 151 mil, diz estudo

10 janeiro 2008

Dados resultam de pesquisa da Organização Mundial da Saúde, OMS, e do governo do Iraque.

As mortes foram registadas entre Março de 2003 e Junho de 2006.

O estudo foi divulgado nesta quarta-feira na revista especializada New England Journal of Medicine, nos Estados Unidos.

Pela pesquisa, o Iraque teve, em média, 120 mortos por dia somente no primeiro ano da invasão liderada pelos Estados Unidos.

Bairros e Vilarejos

Segundo a OMS, os dados são o resultado de mais de 9 mil entrevistas realizadas em cerca de 1 mil bairros e vilarejos iraquianos.

Um dos autores do estudo, Mohamed Ali, explicou que devido a deficiências nas estatísticas do governo e dos hospitais, a pesquisa teve que ser baseada também em dados de lares e familiares das vítimas.

Segundo Ali, a avaliação do número de mortes em situações de conflito é uma operação extremamente difícil.

Ele disse que, por isso, os dados devem ser analisados com prudência.

A estatística das Nações Unidas, Fabia Russano Yazaki, disse à Rádio ONU, em Nova York, que a segurança foi um dos aspectos de maior atenção para os pesquisadores.

“A população iraquiana foi comunicada sobre a pesquisa por vários meios e cooperou extremamente bem com os entrevistadores. A grande dificuldade, obviamente, foi driblar a violência. Existiram casos em que domicílios não puderam ser acessados pela falta de segurança”, disse.

Por causa do grau de imprecisão, a pesquisa avalia que o número de mortos nesse período de três anos, poderia estar entre 104 mil a 223 mil.

Mais de 50% dessas mortes ocorreram em Bagdad, capital do Iraque.

A pesquisa também mostrou que a violência se tornou a principal causa de morte para homens entre os 15 e 59 anos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud