Ban elogia libertação de reféns na Colômbia BR

Ban elogia libertação de reféns na Colômbia

Ban Ki-moon (foto) diz que espera que gesto leve à rápida liberação de outras vítimas de seqüestro.

Clara Rojas e Consuelo Gonzáles estavam sendo mantidas pelo grupo rebelde há mais de cinco anos.

A operação de libertação foi realizada com a ajuda da Organização Cruz Vermelha.

As duas foram liberadas após negociações com a guerrilha colombiana, intermediadas pelo presidente Hugo Chávez, da Venezuela,

Grave Violação

Numa nota, Ban Ki-moon disse que espera que o gesto leve à libertação de mais vítimas de seqüestro.

Ele condenou o crime afirmando que é uma violação grave das leis humanitárias internacionais.

Uma das reféns, Clara Rojas, disse que a libertação era como nascer de novo.

Quatro Décadas

Rojas foi seqüestrada em 2002 com a então candidata a presidente da Colômbia, Ingride Bettancourt, que continua em cativeiro.

As Farc, o maior grupo rebelde da Colômbia, mantém um confronto com tropas do governo há mais de quatro décadas.

O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, comentou a libertação das reféns numa mensagem de TV, e disse que mais de 700 pessoas estariam ainda sendo mantidas pelas Farc.