Angola e Guiné-Bissau mantêm mortalidade infantil alta

22 janeiro 2008

O relatório “Situação Mundial da Infância 2008 – Sobrevivência Infantil” foi divulgado nesta terça-feira, em Nova York.

O relatório “Situação Mundial da Infância 2008 – Sobrevivência Infantil” foi divulgado nesta terça-feira, em Nova York, Estados Unidos.

O estudo coloca a Guiné-Bissau no 11º entre os últimos do ranking, com mais de 200 mortes por cada mil nascidos vivos.

Mas, a Serra Leoa regista os piores índices em África.

Moçambique melhora

De acordo com a representante do Unicef no Brasil, Marie-Pierre Poirier, dos países africanos, Moçambique registou progressos significativos.

"Moçambique é um país que melhorou muito a taxa de mortalidade das crianças, melhorou 40%. É um país que tem uma situação preocupante mas que está melhorando muito. São Tomé e Príncipe fica na posição 43. Serra Leoa é o número um, quer dizer que tem a situação pior do ponto de vista da criança", disse.

Poirier diz, ainda, que a situação no sul do Saara é muito preocupante.

"As regiões que preocupam um pouco são o Médio Oriente e a África. Em particular ao sul do Saara, em 2006, aconteceram 49% das mortes das crianças com menos de cinco anos, quando somente 22% nasceram na região. Portanto, há uma desproporção na morte das crianças pequenas", disse.

O relatório global sobre a situação da infância aponta que o número de mortes de menores de cinco anos ficou pela primeira vez abaixo dos 10 milhões.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud