ONU pede a Afeganistão por jornalista condenado (Português para o Brasil)

24 janeiro 2008

Apelo da Missão de Assistência da ONU no país, Unama, refere-se ao repórter Sayed Parwez Kambaksh (foto), condenado à pena de morte por blasfêmia.

Sayed Parwez Kambaksh foi condenado nesta semana por blasfêmia.

Direitos

Segundo agências de notícia, ele teria sido julgado por baixar material da internet sobre o papel da mulher em sociedades islâmicas.

De acordo com a Unama, as pressões por punição e o julgamento do caso, a portas fechadas, indicariam possíveis erros no processo judicial.

Um porta-voz da Unama afirmou que a Constituição Afegã garante ao país a defesa dos direitos islâmicos e dos direitos humanos universais.

Liberdade de Expressão

A missão pediu ao governo afegão que conduza uma revisão completa do processo.

Segundo a Unama, o jornalista não obteve direito a advogados de defesa.

A missão da ONU no Afeganistão lembrou que casos sobre religião e liberdade de expressão ocorrem em vários países e precisam ser tratados com cuidado.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud