Tribunal Especial para Ruanda condena acusado de falso testemunho (Português para África)

3 dezembro 2007

Esta é a primeira sentença por falso testemunho aplicada no processo.

Jorge Soares, da Rádio ONU em Nova York.

O Tribunal Especial da ONU para Ruanda, Ictr (sigla em inglês) condenou nesta segunda-feira, a nove meses de prisão, um indivíduo acusado de dar falsas declarações durante o julgamento do ex-ministro da Educação do país, Jean de Dieu Kamuhanda.

O tribunal não identificou o acusado pelo nome mas sim pela sigla GAA.

O réu confessou-se culpado.

Ele foi capturado em Kigali, no mês de Julho e transferido para Aruja, na Tanzânia, sede do Icrt.

Esta é a primeira sentença por falso testemunho no processo.

O ex-ministro Kamuhanda foi acusado de dois casos de genocídio e de exterminação, e condenado, em Setembro de 2005, a prisão perpétua pelo Tribunal da ONU.

Segundo o Icrt, ele teria supervisionado assassinatos na área rural da capital, Kigali.

Segundo o tribunal da ONU, cerca de 800 mil pessoas das tribos Tutsis e Hutus foram mortas, durante o genocídio de 1994.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud