ONU diz que agricultura orgânica ajuda a combater a fome mas é insuficiente

ONU diz que agricultura orgânica ajuda a combater a fome mas é insuficiente

O director-geral da FAO, Jacques Diouf, disse que a agência não tem nenhuma razão para acreditar que a agricultura orgânica substituirá a convencional.

Jorge Soares, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, defende a promoção da agricultura orgânica, mas reconhece que o sistema é insuficiente para alimentar a população mundial.

Segundo a FAO não se pode alimentar os 6 mil milhões de pessoas existentes no mundo actualmente sem o recurso sensato a pesticidas.

Mas os produtos orgânicos excluem o uso dessas substâncias químicas.

O director-geral da FAO, Jacques Diouf, disse que a agência não tem nenhuma razão para acreditar que a agricultura orgânica substituirá a convencional.

Receitas

Diuof lembrou que a agricultura orgânica produz alimentos sãos e nutritivos, e destacou o facto de o sistema constituir uma grande fonte de riquezas para países industrializados e em desenvolvimento.

De acordo com a FAO, em 2005, a agricultura orgânica ocupou 2% das terras aráveis no mundo.

A agência revela que, em 2006, o sector gerou mais de US$ 24 milhões de dólares de receitas nos Estados Unidos, na União Europeia, no Canadá e na Ásia.