Crianças sofrem com o conflito no Iraque, diz Unicef (Português para o Brasil)

21 dezembro 2007

A agência da ONU estima que em 2007, cerca de 75 mil crianças foram obrigadas a viver em acampamentos ou abrigos temporários.

Marco Alfaro, da Rádio ONU em Nova York.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, estima que dois milhões de crianças iraquianas continuam sofrendo com a violência, malnutrição, doenças e falta de acesso à educação.

Segundo um relatório publicado nesta sexta-feira, em Genebra, na Suíça, mais de 220 mil crianças foram obrigadas a deixar suas casas e interromper os estudos.

De acordo com o Unicef, as condições de saúde também são preocupantes. Fora da capital Bagdá, apenas 20% das crianças têm acesso ao saneamento básico.

Insegurança

A agência da ONU afirma que a falta de segurança é outro fator inquietante no Iraque. O relatório aponta que, a cada mês, cerca de 25 mil crianças são forçadas a deixar suas casas devido a violência e intimidações.

O Unicef estima que em 2007, cerca de 75 mil crianças iraquianas foram obrigadas a viver em acampamentos ou abrigos temporários.

O relatório do Unicef também apresenta como pontos positivos a assistência de doadores que permitiu investimentos de US$ 40 milhões em cuidados de atendimento médico, água potável, saneamento, educação e outros serviços essenciais.

Os fundos doados permitiram campanhas de vacinação que protegeram quatro milhões de crianças contra a poliomielite e três milhões contra caxumba e rubéola.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud