Ban condena assassinato de Benazir Bhutto
BR

27 dezembro 2007

Ex-premiê (foto) foi vítima de atentado após dirigir um comício do Partido do Povo do Paquistão.

Marco Alfaro e Eduardo Costa, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou o assassinato da ex-premiê e líder do Partido do Povo do Paquistão, Benazir Bhutto.

Ela foi vítima, nesta quinta-feira, de um atentado quando abandonava um recinto, na cidade de Rawalpindi, num subúrbio de Islamabad, onde dirigiu um comício de campanha do seu partido.

Segundo agências de notícias, Bhutto foi ferida por disparos que a teriam atingido no peito e no pescoço. Em seguida, o suicida teria detonado uma bomba que matou pelo menos outras 20 pessoas.

“Ban Ki-moon classificou o ato de “crime hediondo” e pediu que os responsáveis sejam levados à justiça o mais breve possível.

O Secretário-Geral apresentou condolências à família de Bhutto e ao povo paquistanês.

O Conselho de Segurança convocou uma reunião de urgência para consultas sobre ameaças à paz e segurança internacionais e deverá adotar uma declaração presidencial.

Benazir Bhutto dirigiu o governo do país durante as décadas de 1980 e 1990 deixando o cargo em 1996. Ela foi a primeira mulher a ser chefe de governo de uma nação islâmica."

Bhutto regressou ao Paquistão em outubro para retomar suas funções políticas, após um período de exílio na Grã-Bretanha.

No dia de seu retorno, mais de 140 pessoas morreram em um atentado contra manifestantes que saudavam seu regresso.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud