ONU condena assassinato de Benazir Bhutto

27 dezembro 2007

Benazir Bhutto, de 54 anos, foi morta em um atentado suicida que fez pelo menos 20 vítimas fatais.

Jorge Soares & Helder Gomes, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança divulgou, nesta quinta-feira, uma declaração presidencial condenando com firmeza o assassinato da ex-primeira-ministra do Paquistão, Benazir Bhutto.

Na declaração, aprovada por unanimidade, o órgão das Nações Unidas disse que o atentado constitui uma ameaça à paz e à segurança internacionais.

Os 15 países-membros do conselho apelaram aos esforços da comunidade internacional para levar os responsáveis do crime à justiça.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, falou à imprensa após participar da reunião do Conselho de Segurança.

Ban disse estar chocado com o assassinato de Bhutto e das outras vítimas.

Ele expressou condolências à família da líder, seus simpatizantes e ao povo do país. O Secretário-Geral instou os paquistaneses a manter a calma.

Benazir Bhutto, de 54 anos, foi morta em um atentado suicida que fez pelo menos 20 vítimas fatais.

O ataque aconteceu na cidade de Rawalpindi, num subúrbio de Islamabad, onde ela dirigiu um comício de campanha do Partido do Povo do Paquistão, PPP que concorre às eleições marcadas para 8 de Janeiro.

A alta-comissária da ONU dos Direitos Humanos, Louise Arbour, disse estar chocada com a morte da ex-primeira-ministra do Paquistão.

Arbour condenou o assassinato e afirmou estar preocupada com o impacto que o atentado poderá ter nas próximas eleições.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud