ONU condena assassinato de Benazir Bhutto

ONU condena assassinato de Benazir Bhutto

Benazir Bhutto, de 54 anos, foi morta em um atentado suicida que fez pelo menos 20 vítimas fatais.

Jorge Soares & Helder Gomes, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança divulgou, nesta quinta-feira, uma declaração presidencial condenando com firmeza o assassinato da ex-primeira-ministra do Paquistão, Benazir Bhutto.

Na declaração, aprovada por unanimidade, o órgão das Nações Unidas disse que o atentado constitui uma ameaça à paz e à segurança internacionais.

Os 15 países-membros do conselho apelaram aos esforços da comunidade internacional para levar os responsáveis do crime à justiça.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, falou à imprensa após participar da reunião do Conselho de Segurança.

Ban disse estar chocado com o assassinato de Bhutto e das outras vítimas.

Ele expressou condolências à família da líder, seus simpatizantes e ao povo do país. O Secretário-Geral instou os paquistaneses a manter a calma.

Benazir Bhutto, de 54 anos, foi morta em um atentado suicida que fez pelo menos 20 vítimas fatais.

O ataque aconteceu na cidade de Rawalpindi, num subúrbio de Islamabad, onde ela dirigiu um comício de campanha do Partido do Povo do Paquistão, PPP que concorre às eleições marcadas para 8 de Janeiro.

A alta-comissária da ONU dos Direitos Humanos, Louise Arbour, disse estar chocada com a morte da ex-primeira-ministra do Paquistão.

Arbour condenou o assassinato e afirmou estar preocupada com o impacto que o atentado poderá ter nas próximas eleições.