Moçambique receberá projecto de energia limpa do Pnuma

9 novembro 2007

Iniciativa poderá beneficiar 8 milhões de pessoas no leste africano.

Segundo a agência da ONU, os projectos, avaliados em US$ 100 milhões, vão promover o desenvolvimento no continente, através do uso do chá e do açúcar.

Leia o boletim do repórter da Rádio ONU, Helder Gomes.

"O Pnuma diz que os projectos devem ajudar os países africanos a combater a pobreza e a reduzir a dependência na importação de combustíveis fósseis.

Além disso, as duas formas de produção de energia limpa devem contribuir para a redução das emissões de gases que contribuem para o efeito de estufa.

Segundo o Pnuma, a produção de energia hidroeléctrica para as plantações de chá pode beneficiar mais de 8 milhões de pessoas, em países do leste africano, incluindo Moçambique.

O director-executivo da agência da ONU, Achim Steiner, saudou ainda a decisão de alguns governos de firmarem acordos para um uso mais limpo e renovável de energia.

Um outro projecto vai ajudar agricultores a usar os desperdícios da indústria do açúcar na produção de energia, beneficiando quase 10 milhões de pessoas."

O Pnuma lembrou ainda que, na Mauritânia, no noroeste de África, 40% da electricidade do país vêm directamente dos desperdícios da indústria do açúcar.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud