Receita do narcotráfico “tão alta” quanto à da Guiné-Bissau, diz Unodc

Receita do narcotráfico “tão alta” quanto à da Guiné-Bissau, diz Unodc

O dinheiro gerado pelo tráfico de drogas na Guiné-Bissau pode estar no mesmo nível da recolha de receitas pelo estado.

Por Jorge Soares, da Rádio ONU em Nova York.

O director-executivo do Escritório da ONU Contra Drogas e Crime, Unodc, António Maria Costa (foto), disse que o dinheiro gerado pelo tráfico de drogas na Guiné-Bissau pode estar no mesmo nível da recolha da receita de todo o país.

O produto nacional bruto da Guiné-Bissau é de 1,2 mil milhões de dólares.

Costa fez essas declarações no Fórum Internacional sobre Cocaína que ocorre em, em Madrid, na Espanha.

Ele disse que o narcotráfico está a ameaçar a segurança dos países da Costa Ocidental de África.

Em Setembro, por ocasião da abertura da 62ª sessão da Assembleia Geral da ONU, o presidente da Guiné-Bissau, João Bernardo Nino Vieira, disse à Rádio ONU, em Nova York, que o país precisa de ajuda internacional para combater o problema.

"Muito embora tenhamos tomado nossas medidas internas, faltam-nos homens qualificados, nesta matéria, para combater o narcotráfico e meios materiais e financeiros para podermos fazer face ao problema. Como sabe, a Guiné-Bissau tem uma zona marítima muito grande, mais de 50 ilhas, algumas destas ilhas ainda não são habitadas. E não é só o narcotráfico, mas também a imigração ilegal para a Europa. Fazem esconderijos ali e depois passam à Europa clandestinamente. É preciso apoio da comunidade internacional para podermos fazer face a esta nova situação que para a Guiné-Bissau é um fenómeno novo", disse.

O director-executivo do Unodc disse que o alto índice de consumo de cocaína na Europa está a contribuir para mais um desastre em África, que se junta aos problemas da pobreza e desemprego.