Mortes de civis no Afeganistão são alarmantes, diz Arbour BR

Mortes de civis no Afeganistão são alarmantes, diz Arbour

Alta-comissária da ONU pede medidas de proteção de civis em operações militares.

Eduardo Costa, da Rádio ONU em Nova York.

A alta-comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Louise Arbour (foto), disse que o número de mortes de civis em operações militares internacionais no Afeganistão atingiu níveis alarmantes neste ano.

Ao encerrar uma visita oficial ao país, na capital Cabul, Arbour disse que é preciso tomar medidas urgentes para evitar a perda de mais vidas.

Segundo ela, a morte de civis em operações militares não só viola as leis internacionais mas também compromete o apoio dos afegãos em relação à presença militar no país.

De acordo com a alta-comissária da ONU, os direitos humanos não podem ser vistos como um luxo.

Entre as forças internacionais no Afeganistão, Arbour citou a Força Internacional de Assistência na Segurança, Isaf (na sigla em inglês). As tropas têm o apoio das Nações Unidas.

Arbour afirmou que, em caso de morte de civis, a Isaf deve assumir a responsabilidade e apoiar as famílias das vítimas.