FAO critica uso de madeira para combustível

21 novembro 2007

Agência diz que mais de 2 mil milhões de pessoas utilizam gravetos na geração de energia.

Helder Gomes, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, afirmou que o uso de madeira na geração de energia pode causar ainda mais devastação florestal.

De acordo com a agência da ONU, a utilização de graveto para cozinhar, para aquecimento e pequenas actividades industriais pode ajudar a reduzir a emissão de gases que causam o efeito de estufa, mas também leva à degradação do meio ambiente.

Segundo dados da FAO, 2 mil milhões de pessoas dependem da madeira para gerar energia em actividades diárias.

Moderação

Na África Subsaariana, por exemplo, carvão e graveto fornecem 70% da demanda nacional por energia.

O director da Divisão de Produtos e Indústrias Florestais da FAO, Wulf Killman, disse que apesar dos benefícios aparentes, é preciso moderação.

“Deve haver cuidado no planeamento e na implementação de projectos de grande escala sobre geração de biocombustíveis”, afirmou.

A FAO pediu aos países que desenvolvam os seus sectores energéticos de forma sustentável. E que incorporem políticas de geração de energia à base de madeira em programas de redução da pobreza.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud