Fundo doa 46 milhões de mosquiteiros antimalária

27 novembro 2007

Segundo ONU, doença mata pelo menos 1 milhão todos os anos; maioria em países em desenvolvimento.

Jorge Soares, da Rádio ONU em Nova York.

O Fundo Global de combate ao Sida, Tuberculose e Malária, revelou que a agência forneceu 46 milhões de mosquiteiros a famílias sob risco de contrair malária.

O número representa um aumento de 155% em comparação ao ano passado.

Segundo o director-executivo do Fundo Global, Michel Kazatchkine, o programa de combate à doença actua em 78 países.

Efeitos do aquecimento global

Cerca de 44 milhões de pessoas sofrem com a doença. Mas segundo analistas, os efeitos do aquecimento global podem piorar este quadro.

O assessor especial do Pnud para Desenvolvimento Humano, Flávio Comim, disse à Rádio ONU, que caso a temperatura da terra suba, como o previsto, a malária poderá fazer ainda mais vítimas.

“Com o aumento dos níveis dos oceanos, aumenta-se o risco de malária. Pode ser que este risco seja aberto a até 420 milhões de pessoas a mais. No relatório, são mencionadas várias datas para este aumento ocorrer. Mas o problema é que a emissão de carbono é cumulativa, e por isso, agir hoje não muda nada para 2030, pois ela tenha um efeito de longo prazo”, explica.

De acordo com o Fundo Global, a malária mata pelo menos 1 milhão de pessoas todos os anos.

A maioria das vítimas vive em países em desenvolvimento.

Os grupos de risco são crianças, viajantes, grávidas, pessoas deslocadas e trabalhadores que viajam para as chamadas áreas endémicas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud