Ban pede discussão abrangente sobre Médio Oriente

27 novembro 2007

Secretário-Geral participa de Cimeira em Annapolis; porta-voz palestino diz que Brasil pode ajudar diálogo.

Jorge Soares, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon (foto), está participando da Cimeira sobre o Médio Oriente, em Annapolis, nos Estados Unidos.

Ele afirmou que é preciso deixar de lado detalhes específicos para abranger todos os aspectos do conflito israelo-palestino.

Ban Ki-moon se reuniu, na segunda-feira, como os demais integrantes do Quarteto Diplomático para o Médio Oriente. O grupo é formado por Rússia, Estados Unidos, ONU e União Europeia.

Contribuição do Brasil

O vice-ministro das Relações Exteriores da Autoridade Nacional Palestina, Ahmed Sobeh, disse à Rádio ONU, de Ramallah, que o Brasil pode oferecer uma grande contribuição ao diálogo no Médio Oriente. O país foi convidado para participar da Cimeira.

Segundo Sobeh, a convivência pacífica de comunidades árabes e israelitas no país prova que pode haver harmonia.

"O Brasil, a sociedade e o governo, é um exemplo a seguir porque judeus, muçulmanos e cristãos e todas as migrações convivem harmoniosamente, em paz. Acredito que essa convivência no Brasil é um exemplo. A isso podemos também juntar que o Brasil, nas relações internacionais, sempre está comprometido pela paz e, apoiando o processo de paz, acredito que a participação do Brasil nessa conferência é muito importante", disse.

O embaixador do Brasil em Israel, Pedro Motta Pinto Coelho, disse à Rádio ONU que o país tem interesse em contribuir ainda mais para a solução do conflito israelo-palestino.

"Vamos celebrar agora 60 anos da Resolução 181 da Partilha, no dia 29 de Novembro. O Brasil presidiu à sessão da Assembleia Geral que deu início a todo esse processo. Foi o Brasil que presidiu a sessão da Assembleia Geral, Oswaldo Aranha. O Brasil tem uma voz activa nesse processo. E queremos ter uma voz muito presente na questão do Médio Oriente porque nós achamos que, no processo de paz israelo-palestino, é uma questão que extravasa o contexto regional e diz respeito à segurança internacional, com a qual nós estamos comprometidos", afirmou.

Na segunda-feira, O Quarteto para o Médio Oriente emitiu um comunicado elogiando o compromisso dos líderes israelitas e palestinos de lançar negociações bilaterais para o estabelecimento de um Estado palestino na Cisjordânia e em Gaza.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud