Perspectiva Global Reportagens Humanas

Acnur diz que 800 retornaram ao Iraque BR

Acnur diz que 800 retornaram ao Iraque

Maioria teria deixado refúgio na Síria por questões de visto.

Mônica Valéria Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto-Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, informou que cerca de 800 iraquianos deixaram a Síria, nos últimos dias, para retornar a Bagdá, no Iraque.

Segundo a agência da ONU, pelo menos 15 ônibus lotados teriam atravessado a fronteira transportando os refugiados.

Cerca de 70% dos iraquianos, entrevistados pelo Acnur, afirmaram que o retorno ao Iraque se devia a dificuldades com vistos e a impossibilidade de arranjar trabalho.

Mas 14% dos refugiados disseram que estavam retornando por achar que as condições de segurança no Iraque haviam melhorado.

Elogio

A porta-voz do Acnur na Síria, Karmen Sakhr, disse à Radio ONU, de Damasco, que a decisão de voltar é sempre de cada refugiado.

"O custo da vida é muito alto para eles ficarem. Eles dizem que não podem ficar mais na Síria porque não agüentam mais o custo da vida lá. Aí tem também o problema do visto, pois eles não têm visto para ficar. A gente pensa que a situação está melhorando, mas a situação não é tão melhor assim que estamos falando para as pessoas voltarem. Mas se elas querem voltar por conta própria, a gente não fala para eles não retornarem. É a decisão deles", disse.

O representante do Acnur na Síria, Laurens Jolles, disse que a agência não está em condições de recomendar o regresso dos refugiados, neste momento.

Jolles no entanto elogiou os esforços do governo iraquiano em ajudar os que querem retornar ao país.

Segundo o governo do Iraque, 45 mil refugiados teriam voltado da Síria em outubro.