Globalização gera mais trabalho informal

29 novembro 2007

Pesquisa revela que competitividade obriga flexibilização do mercado de trabalho.~

Jorge Soares, da Rádio ONU em Nova York.

Um estudo do Conselho Económico e Social da ONU, Ecosoc, sugere que a globalização tem levado a um aumento do sector informal no mundo.

O “Relatório sobre a Situação Social do Mundo” revela que empregadores e governos estão tornando o mercado de trabalho mais flexível com o objectivo de aumentar a competitividade.

O especialista em inclusão social da Organização Internacional do Trabalho, Luís Frota, disse à Rádio ONU, de Genebra, que o número de trabalhadores informais nas cidades brasileiras equivaleria a pelo menos 10 milhões de pessoas.

Previdência Social

“Estamos falando no Brasil de mais de 50% do total do emprego. Se você considerar o emprego agrícola. No emprego não-agrícola, só na questão das actividades de micro-empresários urbanos, existe uma população que equivale à população de Portugal”, disse.

Para Frota, muitos países precisam desenvolver projectos de previdência social para os que vivem na informalidade.

“Os sistemas têm que estar adaptados, talvez, por um lado, procurar agir com base nas cooperativas, no que se chama hoje a cobertura automática, com base em associações profissionais. Ou, por outro lado, e isso também é relevante no meio urbano, através de associações profissionais de motoristas de táxis, através das quais se oferece automaticamente uma cobertura social a todo o contribuinte”, explicou.

O subsecretário-geral da ONU para Assuntos Económicos e Sociais, Sha Zukang, afirmou que o problema atinge também populações indígenas, que vivem em áreas com altos níveis de desemprego.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud