FAO publica guia sobre educação alimentar em escolas primárias BR

FAO publica guia sobre educação alimentar em escolas primárias

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, publicou um guia sobre educação alimentar em escolas primárias.

O objetivo é ensinar hábitos saudáveis às crianças para eliminar doenças relacionadas à má nutrição e dietas à base de frituras e doces.

Segundo a FAO, o assunto deveria ser adotado no currículo de 1° grau.

O presidente do Departamento de Nutrição da Sociedade de Pediatria de São Paulo, Claudio Leone, disse à Rádio ONU, que a merenda escolar jamais deve ser a principal fonte de alimento das crianças.

"Nós estamos atravessando, no mundo todo inclusive no Brasil, uma epidemia de obesidade. E, por outro lado, a melhoria das condições de vida e o acesso maior a alimentos fizeram com que começasse a surgir a obesidade. E esta obesidade hoje está sendo detectada em idades cada vez mais precoces. Os números brasileiros mostram que, em idade escolar, nós temos cerca de 1/4, ou seja, um em cada quatro alunos na condição de sobrepeso ou obesidade", disse.

A diretora da FAO para a Divisão de Nutrição e Proteção ao Consumidor, Ezzeddine Boutrif, disse que os hábitos alimentares de uma criança têm efeito direto na capacidade de aprendizado e crescimento.

Cerca de 1,6 bilhão de adultos em todo o mundo estão acima do peso. E deste total, a grande maioria vive em países de rendas média ou baixa. O médico Claudio Leone explicou a situação nas escolas brasileiras.

"A criança come a merenda e depois ela vai à cantina, compra outros alimentos e talvez alimentos processados, industrializados e nem sempre os mais adequados para o consumo na idade escolar, ou pelo menos para consumo regular. Comer uma batatinha frita, de vez em quando, não faz mal a ninguém, mas comer todos os dias seguramente faz mal. Tomar um refrigerante, de vez em quando, a mesma coisa, mas quando se começa a tomar com muita freqüência, ele passa a ser uma fonte de calorias importante", contou.

O manual pode ser obtido na página da FAO na internet em inglês e francês.