ONU discute formas contemporâneas de escravatura

ONU discute formas contemporâneas de escravatura

O grupo de trabalho da ONU sobre formas contemporâneas de escravatura está reunido em Genebra, na Suíça, para discutir o novo trabalho escravo.

O historiador e embaixador de Cabo Verde no Brasil, Daniel Pereira, falou à Rádio ONU, de Brasília, sobre as novas formas de escravatura.

"A escravatura sexual, esta é aquela que é mais conhecida, também a transferência dos imigrantes que vão trabalhar para outros países sem nenhuma referência e sem nenhumas condições. Estas são as mais conhecidas neste momento, o tráfico humano", disse.

A subcomissão da ONU detecta outras formas actuais de escravatura, como a mutilação genital ou o uso de crianças em conflitos armados.

O tráfico de pessoas para venda de órgãos, a exploração sexual e o trabalho infantil são mais exemplos das novas formas de escravatura.

De acordo com uma estimativa recente da Organização Internacional do Trabalho, OIT, 100 milhões de crianças são exploradas pelo seu trabalho.

A reunião sobre as formas contemporâneas de escravatura termina no final da próxima semana, em Genebra.