Timor quer renovação de 2 anos para mandato de missão da ONU

Timor quer renovação de 2 anos para mandato de missão da ONU

O Ministro das Relações Exteriores do Timor-Leste, Zacarias da Costa (foto), disse à Rádio ONU que o governo timorense espera obter uma renovação prolongada do mandato da missão da ONU no país, Unmit.

O governo quer que a renovação seja de pelo menos mais dois anos. O ministro falou à Rádio ONU logo após uma reunião no Conselho de Segurança para discutir a situação no Timor-Leste.

"É importante que se estenda o mandato da Unmit, pelo menos por mais dois anos, dois anos e meio. Depois, naturalmente, teremos de olhar para uma componente diferente, talvez mais para aquilo que nós chamamos consolidação da paz, mas sempre debaixo do mandato da actual missão que se encontra em Timor", explicou.

O presidente rotativo do Conselho de Segurança, o embaixador francês, Jean-Maurice Ripert, afirmou que o povo do Timor-Leste tem o mérito de ter demonstrado empenho por paz e democracia durante as últimas eleições gerais.

Numa declaração presidencial, o conselho apelou a todos os grupos políticos do Timor para resolver suas diferenças por meios pacíficos, como forma de preservar a segurança no território.

O ministro Zacarias da Costa disse que a situação de segurança melhorou, mas ainda há casos de instabilidade.

"A situação, de certa forma, piorou logo depois do anúncio, pelo presidente, da formação do novo governo, mas julgo que agora está controlada. Há alguns grupos de artes marciais que continuam com alguma violência na capital, em Díli. Mas, em termos gerais, a situação melhorou bastante e parece-me que se pode dizer que está controlada", disse.

No relatório enviado ao Conselho de Segurança, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que até o final do mandato actual, a Unmit deverá reforçar o apoio à reestruturação da polícia do país.

Uma ex-colónia portuguesa no sudeste da Ásia, o Timor-Leste, foi anexado pela Indonésia na década de 1970, e se tornou independente em 2002 após um referendo da ONU.