Murais de Portinari “Guerra e Paz” lembrados em discurso na ONU BR

Murais de Portinari “Guerra e Paz” lembrados em discurso na ONU

O presidente Lula terminou seu discurso na sede da ONU lembrando os murais “Guerra e Paz” do pintor Cândido Portinari. A obra, terminada em 1957, foi um presente do governo brasileiro às Nações Unidas. Lula usou os murais para exemplificar desafios atuais enfrentados pela humanidade.

A obra “Guerra e Paz” está exposta na entrada da Assembléia Geral da ONU.

O filho do pintor João Cândido Portinari falou à Rádio ONU antes do evento sobre o período de produção dos murais pelo pai, no Rio de Janeiro.

"Ele tinha um ateliezinho que era um quarto do apartamento onde a gente morava no Leme. A amizade dele com Assis Chateaubriand fez com que os Diários Associados emprestassem um estúdio de televisão, que tinha um pé-direito não suficiente para fazer os murais na sua integridade, mas para fazê-los em faixas. Veja que coisa extraordinária, ele nunca viu, neste processo de criação, os murais montados", explicou.

A Missão do Brasil nas Nações Unidas está organizando uma cerimônia de entrega de um novo livro sobre os murais ao Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, para marcar os 50 anos do lançamento da obra.