Relatores da ONU sugerem melhorias para prisões de Angola

28 setembro 2007

O Grupo de Trabalho da ONU sobre Detenções Arbitrárias encerrou uma visita oficial a Angola afirmando que casos de prisões arbitrárias e o uso excessivo de capturas preventivas continuam ocorrendo no país.

Os relatores inspeccionaram cadeias das províncias de Luanda, Cabinda e Lunda Norte, e se reuniram com representantes do governo.

O embaixador de Angola nas Nações Unidas em Genebra, Arcanjo do Nascimento, falou à Rádio ONU, em Nova York, sobre o que o país está a fazer para aperfeiçoar o sistema judicial.

" Nós não temos uma situação preocupante em matéria de direitos humanos, mas sim uma situação estável neste domínio. Temos algumas debilidades e é neste quadro que temos feito um aperfeiçoamento constante, particularmente de nosso direito e da nossa justiça. Está em curso agora um processo de reforma do direito e da justiça que se tornará num melhor sistema de garantia e proteção dos direitos dos cidadãos, quer individual ou coletivamente", explicou.

A visita a Angola é a terceira que uma delegação do Grupo de Trabalho sobre Detenções Arbitrárias realiza a um país africano. Os outros países visitados foram a África do Sul em 2005, e Guiné-Equatorial, em 2007.

O grupo a Angola foi chefiado pela relatora especial Leïla Zerrougui.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud