Unfpa quer apoio internacional no combate à mutilação genital

Unfpa quer apoio internacional no combate à mutilação genital

O Fundo de População das Nações Unidas, Unfpa, pediu à comunidade internacional para apoiar a política de tolerância zero contra a mutilação genital feminina. (Boletim em Português para África, Helder Gomes).

A mutilação genital feminina é descrita pelo Unfpa como a remoção total ou parcial dos órgãos genitais por motivos culturais ou outras razões não-terapêuticas.

Segundo o Unpfa, a prática viola os direitos das mulheres à saúde reprodutiva e à integridade física.

A mutilação afeta 2 a 3 milhões de mulheres, todos os anos, e estima-se que entre 100 e 140 milhões tenham sido submetidas à mutilação em todo o mundo.

Para o responsável da Unfpa, na capital da Etiópia, Benson Morah, a prática está fortemente enraizada em algumas culturas.

A mutilação genital feminina é praticada em 28 países de África e do Oriente Médio, entre comunidades imigrantes na Europa, América do Norte, Austrália e Nova Zelândia. Segundo o Unfpa, algumas comunidades na Índia, Indonésia, Iraque e Malásia também são afetadas pela prática.

Da Rádio ONU em Nova York, Helder Gomes.