Missão das Nações Unidas condena actos de violência em Timor-Leste

7 agosto 2007

O representante especial do Secretário-Geral da ONU para o Timor-Leste, Atul Khare, condenou actos isolados de violência no país horas após a nomeação do novo primeiro-ministro Xanana Gusmão.

Khare disse que qualquer um que participar de actos da violência será tratado como criminoso.

De acordo com a Unmit, ruas inteiras estão sendo bloqueadas, casas e veículos incendiados nas áreas de Baucau e Viqueque, no leste do Timor.

O embaixador do Timor-Leste nas Nações Unidas, Nelson Santos, disse à Rádio ONU que as forças de segurança locais estão tentando conter a violência.

“O sector de segurança está sob o controle das Nações Unidas. Nós temos a polícia, que está sendo seleccionada para ajudar as Nações Unidas. Eu creio que isso cabe mais às Nações Unidas e, naturalmente, com a cooperação dos governantes do Timor-Leste, para reestabelecer a paz e a estabilidade em Díli, na capital, e no país como um todo”, disse.

A escolha de Xanana Gusmão, ex-presidente do país, foi feita pelo actual presidente, José Ramos-Horta.

Segundo Horta, a decisão foi tomada após nenhum partido ter conseguido maioria clara nas eleições legislativas para formar um novo governo.

De acordo com agências de notícias, os partidários da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente, Fretilin, que obteve 29% dos votos, estariam insatisfeitos com a nomeação de Gusmão.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud