Xanana empossado como novo primeiro-ministro do Timor-Leste

Xanana empossado como novo primeiro-ministro do Timor-Leste

O ex-presidente do Timor-Leste, Xanana Gusmão (foto), tomou posse nesta quarta-feira em Díli como o novo primeiro-ministro do país.

A Aliança de Maioria Parlamentar, AMP, liderada por Gusmão, conseguiu negociar a maioria dos assentos no Parlamento, após as eleições de 30 de Junho.

O ex-partido de Gusmão, a Fretilin, obteve 29% dos votos, mas não participará da coligação para governar.

Simpatizantes da Fretilin, insatisfeitos com o resultado, saíram às ruas em protesto na capital e em outras cidades do país.

Segundo a polícia, seis pessoas ficaram feridas em apedrejamentos e incêndios criminosos.

Antes da posse, o embaixador do Timor-Leste nas Nações Unidas, Nelson Santos, disse à Rádio ONU que o novo governo já começa com alguns desafios.

“Creio que um dos maiores desafios desse Executivo é estabelecer a paz e a estabilidade em Timor-Leste. Nomeadamente a reforma do sector de segurança e ainda como estabelecer a segurança para que os refugiados possam regressar as suas devidas residências ou aldeias de origem”, disse.

Pela formação actual do Parlamento, o movimento liderado por Xanana Gusmão ocupará 21 cadeiras e a Fretilin, do ex-primeiro-ministro Mari Alkatiri, 18 assentos.

A Missão Integrada da ONU no Timor-Leste, Unmit, informou que o representante especial de Ban Ki-moon no país, Atul Khare, e o presidente do Timor, José Ramos-Horta visitarão as cidades de Baucau e Viqueque neste sábado.

As duas áreas, ao leste da capital timorense, registaram os protestos mais violentos desde segunda-feira.

Em Baucau, pelo menos 45 pessoas foram presas após os incidentes.

Uma ex-colónia portuguesa, no sudeste da Ásia, o Timor-Leste foi anexado pela Indonésia na década de 1970 e se tornou independente em 2002 após um referendo da ONU.