Cepal diz que América Latina e Caraíbas devem crescer 5% em 2007

22 agosto 2007

Um relatório da Comissão Económica para América Latina e Caraíbas, Cepal, sugere que a região deve continuar crescendo cerca de 5% neste ano.

O director da Cepal no Brasil, Renato Baumann, disse à Rádio ONU que um dos motivos do crescimento se deve ao aumento das exportações.

Mas segundo ele, o aumento no envio de remessas de migrantes a seus países de origem tem ajudado o desempenho das economias na América Central e no México.

“Essa é uma característica nova da região, com uma intensidade expressiva, particularmente na América Central e México, países que têm beneficiado, de forma bastante expressiva, o seu balanço de pagamentos da entrada de divisas relacionada a essa rubrica. E, além disso, nos últimos anos, tem-se observado uma recuperação do consumo, de um modo geral, e do investimento”, explicou.

Baumann falou também da integração das economias asiáticas e latino-americanas.

Ele disse que somente no Chile, 10% das vendas externas do país se destinam à China.

“A região, em seu conjunto, tem-se apropriado de benefícios consideráveis em função do desempenho chinês. Dito isso, em termos de mercado de destino para as suas exportações, a China é hoje um parceiro importantíssimo. Agora, uma das preocupações é que as vendas dos países latino-americanos para a China ainda são basicamente produtos primários, com baixo grau de elaboração”, disse.

O relatório da Cepal foi divulgado em Santiago do Chile pelo secretário-executivo do órgão, José Luiz Machinea.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud