ONU marca Dia Internacional sobre Abolição da Escravatura BR

ONU marca Dia Internacional sobre Abolição da Escravatura

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, marcou, nesta quinta-feira, o Dia Internacional de Lembrança sobre a Abolição da Escravatura.

A data marca a revolta de escravos na então Ilha de Santo Domingo, no Caribe, ocorrida na madrugada de 22 para 23 de agosto de 1791.

O levante teve um papel fundamental na abolição do comércio de escravos, que partiam da África para outros continentes.

O embaixador de Cabo Verde no Brasil e historiador, Daniel Pereira, falou à Rádio ONU, de Brasília, sobre as conseqüências do tráfico de escravos para a África.

“Isso desarticulou o sistema demográfico africano, teve conseqüências enormes para a sociedade e a economia africanas, contribuiu poderosamente para aquilo que se chama a primeira mundialização. De alguma forma, o tráfico de escravos acabou por juntar o Índico ao Atlântico etc. Obviamente que isso teve efeitos que perduraram no tempo, logo na própria história do nosso continente”, explicou.

E nesta quinta-feira foi inaugurado em Liverpool, na Grã-Bretanha, o Museu Internacional da Escravatura, descrito como o primeiro museu permanente sobre o comércio escravo.