Entrevista: Ban Ki-moon

Entrevista: Ban Ki-moon

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, se reuniu com jornalistas, em Nova York, para fazer um balanço de sua viagem oficial à Europa. Na entrevista, Ban falou sobre sua visita à Casa Branca em 17 de julho e que recebeu um convite para viajar a Darfur, no Sudão, ainda sem data exata.~Acompanhe os detalhes com a repórter da Rádio ONU, Mônica Valéria Grayley.~

Ban disse que a comunidade internacional não pode abandonar o povo iraquiano e pediu cautela nas decisões sobre o tema. Ele reafirmou o compromisso das Nações Unidas com projetos sociais e humanitários no Iraque.

Ban Ki-moon informou que durante sua visita ao presidente dos Estados Unidos na terça 17 de julho, ele deve discutir vários temas incluindo a questão da província de Darfur, no Sudão. O conflito em Darfur entre tropas do governo, milícias e rebeldes já matou mais de 200 mil pessoas e obrigou cerca de 2 milhões a fugir de suas casas.

Ban afirmou que espera que o Conselho de Segurança tome a ação necessária ainda esta semana para destacar uma força de paz mista de mais de 20 mil civis e militares a Darfur. A força, que foi aprovada pelo governo sudanês, deve ser formada por tropas da União Africana e das Nações Unidas.

Ban contou que recebeu um convite para visitar Darfur.

O Secretário-Geral da ONU disse que foi convidado a visitar o Sudão, incluindo Darfur, mas ainda não tem data exata. Ban disse que o tempo ideal será quando ele achar que sua visita poderá contribuir ao máximo para cimentar os avanços na região.

E como ex-ministro do Exterior da Coréia do Sul, Ban Ki-moon não esqueceu da, que pode ser chamada a notícia do dia, o fechamento do reator nuclear de Yongbion, na Coréia do Norte.

Ban contou que como Secretário-Geral da ONU e ex-ministro sul-coreano, ele encoraja a Coréia do Norte e outras partes a continuar implementando o compromisso de desnuclerização da Península Coreana, o mais rápido possível.

Outros temas foram mencionados pelos correspondentes, como por exemplo, a situação do status da província de Kosovo, na ex-Iugoslávia, e o envio de uma equipe de auditores à República Democrática do Congo, RD Congo. Sobre Kosovo, a província sérvia de maioria albanesa, Ban disse que o atraso para decidir o futuro político da mesma só prejudica a situação.

Ban afirmou que o atraso em resolver a situação não é desejável nem para os Bálcãs, nem para outros países da Europa. Ele disse que espera que o Conselho de Segurança atue de acordo com as recomendações do enviado especial da ONU, Martti Ahtisaari, que defende autonomia para Kosovo.

Mas a entrevista de Ban Ki-moon também teve momentos de humor principalmente na hora em que ele anunciou sua visita à Califórnia no fim deste mês.

Ban disse que espera se reunir com o “governator”, uma junção das palavras governador e “Exterminator”, o título do filme estrelado pelo agora governador da Califónia, Arnold Schwarznegger. Os dois líderes devem debater o uso de tecnologias sustentáveis na indústria.

O novo encontro do Secretário-Geral com correspondentes da sede da ONU deve acontecer, de maneira informal, no retorno dele a Nova York após a visita ao presidente Bush.

Nações Unidas em Ação.

Programa da Rádio ONU em Nova York.

Apresentação: Eduardo Costa

Reportagem: Mônica Valéria Grayley

Direção Técnica: Peter Kurisko