Julgamento de Charles Taylor ajuda luta contra impunidade, diz Ban BR

Julgamento de Charles Taylor ajuda luta contra impunidade, diz Ban

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que o julgamento do ex-presidente da Libéria, Charles Taylor, ajudará na luta contra a impunidade. Taylor é acusado de crimes de guerra cometidos na Libéria e em Serra Leoa. O julgamento começou nesta segunda-feira em Haia, na Holanda, sem a presença de Taylor.

“O julgamento do ex-presidente liberiano está sendo organizado pelo Tribunal Especial para a Serra Leoa. Segundo a nota do Secretário-Geral, Ban Ki-moon, o caso ajudará a reforçar o estado de direito não somente no oeste da África mas em todo o mundo.

Numa carta, lida pelo seu advogado, Charles Taylor, disse que faltou à audiência por acreditar que não receberá um julgamento justo.

Taylor, de 59 anos, está respondendo a 11 acusações de assassinatos e outros crimes, como por exemplo, uso de crianças soldados, estrupros, entre outras.

Os conflitos em Serra Leoa e na Libéria ocorreram de 1989 a 2003.

Segundo o tribunal, em Haia, as audiências continuarão mesmo sem a presença do réu. O julgamento pode durar até dezembro de 2008. Mais de 130 testemunhas devem ser ouvidas.